Corra!

em 27 fevereiro 2020

   Olá meu povo, como estamos? Hoje temos mais uma indicação de filme no quadro Amantes do cinema. Estou na vibe de filmes que mexem com nosso psicológico atualmente e esse é mais um filme do qual obedeci, literalmente, o título por tempos: 'Corra!'


Corra!
Foto: Divulgação


Filme: Corra!

Ano: 2017

Gênero: Suspense/Terror

Duração: 1h44min



Chris (Daniel Kaluuya) é jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada caucasiana Rose (Allison Williams). A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas, com o tempo, Chris percebe que a família esconde algo muito mais perturbador.


Corra!



   Chris é um jovem, negro, bonito e muito inteligente, porém pobre, que está prestes a lidar com a família de sua namorada. Rose é uma típica mocinha caucasiana, vinda de família rica e poderosa, e está namorando Chris há 5 meses. Ela diz que o amor deles será o suficiente para enfrentarem qualquer situação chata que venha a surgir e encararem sua família, que mora numa cidade pequena. 
   Começamos o filme pensando se tratar de um drama, que vai lidar com preconceito e situações nas quais é preciso enfrentar com coragem e firmeza. Na real, é preciso coragem e firmeza para lidar com a família de Rose, mas por outro motivo que vai além de nossa imaginação. Somos apresentados a um casal muito amorzinho, formado por Chris e Rose, que são verdadeiros pombinhos, feitos um para o outro. Eles não poderiam estar mais felizes, até Rose sugerir que Chris podia conhecer a família dela.
   Chris lida com situações de preconceito há tempos, e sabe que não será fácil lidar com uma família inteira de gente que se acha superior, não apenas pela grana que tem na conta bancária, mas pela cor de sua pele. Mesmo assim, Rose faz de tudo para convencê-lo de que sua família não tem nada de preconceituosa e que ele não precisa ter medo de conhecer seus pais.
   Afinal, se tudo está indo bem e um dia eles vão se casar, nada mais justo que ele conheça a família na qual está para fazer parte. Assim, Chris aceita o convite. Mas algo o deixa muito desconfiado, embora não saiba o quê.
   Ele vai mesmo assim, e vai perceber que sair daquela família será quase impossível. E, eis que o filme de drama se torna um suspense, de acordo com os críticos de cinema. Mas, na minha opinião, é de terror psicológico mesmo.
  Os pais de Rose recebem Chris de uma forma estranhamente feliz. O sorriso deles é tão aberto, que chega a ser forçado e amedrontador. O sexto sentido de Chris apita novamente, mas ele está cada vez mais enrolado numa teia de aranha, que não vai se soltar com facilidade. 


Corra!
Foto: Divulgação

   Supostamente, terá uma reunião anual na família de Rose, um momento que acontece sempre na mansão dos pais da mocinha. Ela quer aproveitar para apresentar seu novo namorado a todos os seus familiares, mas Chris, que estava preparado para encarar olhares preconceituosos, acaba deparando com olhares de quem encara algo que deseja muito numa vitrine. 
   Cada vez mais sem graça pela atenção que atrai, Chris se depara, ainda, com um cenário que ele não imaginava: Rose diz que a família dela ama negros, mas todos os negros que fazem parte da família são empregados da casa, que tem uma adoração doentia pela família.
 

Corra!
Foto: Divulgação

   Talvez o único negro que não faça parte da mansão, mas é "membro da família" seja um que aparece do nada, acompanhado de uma tia distante de Rose. Chris se alivia, ao pensar que de fato estava enganado sobre seu sexto sentido, afinal, eles não eram de fato o que ele pensava e estava de boas ter alguém para conversar.
   Mas pense em seu susto (e meu também) quando, ao falar com ele, percebe que o rapaz é mais um cachorrinho adestrado, que faz tudo o que a tia de Rose manda, literalmente. Não fala nem age como uma pessoa normal, está sempre esperando ordens. Sem contar um olhar distante, que parece não ser o seu, mas o de outra pessoa presa ali.
   Chris, aos poucos, percebe que os empregados da casa também são assim. Não apenas tem a adoração que beira ao fanatismo, mas tem um olhar semelhante ao do rapaz que ele encontrou na festa. Todos parecem estar realizando papeis que nunca foram seus, uma espécie de teatro macabro, que nunca termina. 


Corra!
Foto: Divulgação

   O que essa família tem afinal? É tão amorosa, e tão amedrontadora ao mesmo tempo. Os empregados tem medo, mas só faltam lamber os sapatos dos patrões se eles mandarem. Dizem que não tem preconceito, mas todos os que não se parecem com eles são tratados não como pessoas, mas como mascotes.
   Aos poucos, conforme Chris tenta voltar para casa, as coisas começam a dar errado. E entendemos o motivo da tal reunião anual da família de Rose. Eles se reúnem toda vez que Rose tem um(a) namorado(a) novo(a). E isso é mais frequente do que se imaginava. Mas não porque Rose é uma menina volúvel, ou porque ela tem azar no amor.
   Na real, a mocinha que parece tão apaixonada pelo seu namorado e que encontrou o amor da sua vida, é a pior vilã de todos, se é que podemos chamá-la assim. Sinceramente, tive mais medo dela mesmo do que dos outros personagens, e olha que todos os seus parentes dão medo.
    Todas as ações que acontecem naquela família dependem das escolhas de Rose, que é uma verdadeira psicopata. Ela não tem sentimentos, não se sente culpada, ela manipula até a sua sombra se deixar! Sério! Não apenas ela, mas seus pais tem um tipo de psicopatia. Cada um assusta de uma forma peculiar e Chris se vê amarrado numa teia cada vez mais firme. 


Corra!
Foto: Divulgação

   Só há uma forma de sair dessa cilada. E Chris vai precisar de muito sangue frio e correr, literalmente, muito para conseguir. 'Corra!' é um filme que vai mexer com você de várias formas. Ele vai te dar medo, vai te dar nojo, enjoo, vai te dar nó no estômago.
   São quase duas horas de filme, que vão te fazer pensar que foram mais que o dobro, tão absorto(a) que você vai ficar. Apesar de dar medo, é um filme que você não pode fechar os olhos, se não, vai perder aquela cena que te explica tudo.
   Esse filme mexeu muito comigo, especialmente por lidar com uma espécie de superioridade que eu nunca imaginei que fosse possível ser buscada na mente humana. Até que ponto você pode manipular a realidade de outra pessoa, para que ela te obedeça? É possível correr dessa situação? Será que Chris vai sobreviver? Isso só assistindo para saber mesmo.
   Eu super recomendo o filme, especialmente por que são filmes como esse que te fazem questionar até onde é apenas ficção, ou nossa mente é realmente capaz de fazer atrocidades como essas.
   E aí, já tinham visto esse filme? O que acharam dele? Me contem aí!


4 comentários:

  1. Hanna, vi esse filme em 2018 e até hoje lembro da sensação que ele me causou, foi bem o que vc disse, uma mistura de nojo e medo...e angústia, ao ver o olhar os outros personagens pedindo ajuda e ao mesmo tempo tentando alertá-lo...enfim um filmaço! Gosto muito desse tipo de enredo.
    Beijos

    http://momentoseoutrascoisas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Jade, eu também gosto bastante desse tipo de filme, embora mexa bastante comigo.
      Bjks!

      Excluir
  2. Oi, Hanna como vai? Filmes de terror costumam despertar meu interesse por assistí-los e esse aí me parece ser excelente. Adorei a indicação. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e seja sempre bem vindo ao Mundinho da Hanna.
Ficarei imensamente feliz com seu comentário, desde que:
- Não contenha palavras de baixo calão;
- Não seja span.
Os comentários costumam ser respondidos nos finais de semana. =)
Bjks!

© Mundinho da Hanna | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.
Topo