Resenha do livro Meu quase irmão

em 10 julho 2018

   Olá meu povo, como estamos? Hoje temos resenha de mais um livro "brazuca' no ar, lido em parceria com a autora Mônica Meirelles. O livro se chama Meu quase irmão - Irmãos Louzada 1, vem ver! 😉

Meu quase irmão
Mônica Meirelles





28/30

Livro: Meu quase irmão - Irmãos Louzada 1 - Laura

Autora: Mônica Meirelles

Editora: Independente (Amazon)

Ano: 2018

Páginas: 231

Adicionar ao Skoob



5

Laura é formada em Literatura Inglesa pela Cambridge, uma das melhores faculdades do mundo. Por estudar em outro país, a garota, por motivos que tanto a atormenta, usa da desculpa para ficar nove anos afastada de sua família do Brasil.Quando retorna para mais um Natal em família, ela jamais poderia imaginar que o filho de sua madrasta, Bernardo, quem ela nunca se deu bem, fosse se tornar um homem lindo e provocante, porém ainda irritante, pelo qual ela fosse se encantar... Sentir um louco desejo... Se apaixonar... E amar à "folgo e pólvora", como Shakespeare disse... Mas e a família, como reagirá a essa situação? E a distância, será capaz de permitir que Laura viva um romance a la Romeu e Julieta como sempre sonhou?

Meu quase irmão


   Para quem acompanhou o romance em 'A vez de Anne', Laura é a filha do Dr. Daniel, o médico carioca que conquistou o coração da gaúcha, grávida de Bernardo na época, fruto de um relacionamento furado. Laura é pouco mais velha que Bê, mas foram criados como quase irmãos, na medida do possível, já que a mãe da menina não se conforma com o fim do casamento com o médico bonitão e carrega a pequena Laura para longe, em Nova York, onde mora e troca mais de marido do que de roupa. Além disso, ama colocar caraminholas na cabeça de Laura, falando que o pai não presta e tudo o que aconteceu na vida delas é culpa dele.
   Assim cresce a menina, cada vez mais afastada de seu pai, do Bê e dos irmãos, que nasceram no segundo casamento do pai. Ela cresce cercada de cuidados, com tutores particulares, para não ser sequestrada na escola, criada sob uma redoma e vendo cada vez menos o pai no Brasil, já que ela tinha cada vez mais raiva dele por tê-la quase deixado morrer com câncer ainda pequena...
   Vendo o pai como um monstro que só ama os filhos que tem com Anne e também o Bernardo, que nem filho legítimo dele é, a mocinha decide se afastar cada vez mais. Tentando se libertar também das garras da mãe, ela decide ir estudar bem longe, em Cambridge, Inglaterra. Lá, ela estuda Literatura Inglesa e se encanta com os romances de Shakespeare e outros tantos clássicos de amor eterno. Será que um dia a mocinha teria seu "felizes para sempre"? Quem seria seu príncipe encantado?
   Em meio a estudos e sonhos, o tempo passa... e logo fazem 9 anos que ela não vê o pai nem seus irmãos. Mas depois de sua prima postiça a encontrar em Londres, numa viagem de férias, Laura acaba entrando em contato com o pai, mesmo que contra a vontade... e eis que ele a convence a passar o Natal com sua família em Porto Alegre, como há muito tempo não faziam...
   Laura ainda guarda muita mágoa do pai, principalmente por causa da negligência dele. Será uma boa ideia ir encontrar a parte da família que ela fez questão de deixar no passado por tanto tempo? O que será que aconteceu com seus irmãos? Já devem estar grandes... principalmente o Bernardo, ou Bê, como ela gostava tanto de chamar o moleque chato que era filho de sua madrasta... Devia ser um homem bem chato e feio... com essa imagem no pensamento, ela chega ao Brasil...
   Mas o cenário que ela encontra é bem diferente do que imaginava. Bernardo, para começo de conversa, continua um chato, mas se tornou um mulherengo de marca maior, e um pedaço de mau caminho, que vou te contar!

Meu quase irmão
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


   Mal Laura o vê, e não consegue disfarçar seu espanto ao ver o cara lindão que é seu quase irmão... E aí começa a história dos Louzada...


"Aquela sensação de nove anos atrás retorna. Meu estômago parece como se houvessem várias borboletinhas dentro dele [...]. Gosto dessa confusão. É boa, é gostosa."

   Vou falar que esse não é bem o gênero de leitura que eu gosto, mas mudar de vez em quando faz bem, serve como um desafio até... Bom, Laura é uma moça que está se descobrindo aos poucos. Ela foi criada sob uma redoma pela mãe, uma louca mal amada que não se conforma em ter sido trocada pela atual esposa do ex-marido. Para se vingar, inventa um monte de coisa, só para tirar a filha de perto do pai. O que ela consegue, contando que ele, um pediatra renomado, negligenciou a própria filha com câncer e ela quase morreu. Laura cresce acreditando piamente em tudo o que sua mãe fala, mas ela a sufoca tanto com sua superproteção, que a solução é estudar em outro continente.
   Poderia voltar para o Brasil, até poderia... mas como encarar o continente onde a pessoa que quase a deixou morrer mora? Com que cara ela olharia para o próprio pai, que ela sempre sentiu certa distância, mesmo aos 15 anos, quando foi sua última visita à casa dele? Ela sempre sentiu que foi a menos amada. Tinha o pior quarto da casa, todos os irmãos tinham álbuns próprios de sua infância, menos ela. Tudo que acontecia entre as crianças, a culpa era de Laura, que chegava só para dar confusão, ainda mais quando se juntava com Bernardo... que tinha mais atenção que ela, a filha legítima?
   Assim, ela escapa da melhor forma que pode, e vai parar em Londres. Lá ela se forma numa das melhores universidades do mundo. Enfim faz amizades longe dos olhares reprovadores da mãe e sem a negligência do pai, que a esta altura está muito ocupado dando atenção aos outros filhos do segundo casamento e nem liga mais para ela... Disposta a acertar tudo com o pai, depois de anos se escondendo, ela não sabe o que fazer quando encontra um ambiente diferente do que imaginava.
   Bernardo, por sua vez, é um rebelde com causa. Fruto de um relacionamento que não deu certo, Anne tenta fazer de tudo para que, ao menos ele tenha contato com seu pai biológico. Mas Bernardo é bem revoltado, já que o pai dele também não se conforma com o fim do relacionamento com Anne e se vinga no filho, fazendo ele sofrer de forma física. Isso torna o menino um adolescente com raiva do pai, e nem quer saber de nada, além de jogar futebol, sua válvula de escape.
   A única menina que foi capaz de roubar seu coração foi Laura, mas ela esta longe demais e nem se lembra mais que ele existe, então ele sai por aí pegando todas e curtindo a vida... até que Laura volta e tudo o que tinha no coração dele vira de cabeça para baixo.
   Apesar de ser um aparente bad boy e bem imaturo, ele tem um grande coração, o que espanta Laura e a faz ficar arriada os quatro pneus... mesmo que não admita...

"Você está como todas as garotas que vivem Bernardo, doida para beijá-lo. Mas e daí? Eu não sou frágil assim, principalmente com os homens. Sempre fui durona e não vai ser ele que vai me amolecer." 


   Resumindo, foi uma paixão de infância, que aflorou com o reencontro dos dois. Só tem um problema... Eles são quase irmãos... por mais que não tenham laços genéticos, já que são filhos de pais diferentes, ainda tem toda aquela coisa de família... será que seus pais vão aceitar isso? E outra, Bernardo tem várias questões para resolver durante esse percurso, e Laura está lá apenas para as festas de fim de ano, já que sua vida está em Londres...
   É fogo, é paixão, é desejo... e distância... será que isso vai dar certo? Isso que ficamos na dúvida no decorrer da história, ainda mais porque esse livro é apenas o início da história, que tem dois volumes.
   Esse primeiro é todo narrado pela visão de Laura, que sinceramente... é bem boboca no começo... Ela tem tanta coisa com príncipe encantado e final feliz que irrita.


"Sinto-me uma adolescente agindo dessa forma. Bem, ao menos acho que é assim que uma adolescente normal deve se sentir... eu nunca vivi nada disso."


   Ficou tão ligada nos romances de Shakespeare, que achava que teria um igual... mas ela se esquece que o final das peças do escritor terminam em tragédia... e olha que eu nem sou formada em literatura inglesa para saber disso 😛.  Para falar a verdade, eu esperava mais dela, ainda mais nos papos que tem com Bernardo... é a mocinha mais irritante que já conheci... apesar de ter 24 anos na cara, ainda se comporta como um adolescente...
   E Bernardo ainda é um menino imaturo e chato, mas apaixonado. Ele nem liga para a família quando Laura está por perto. Mas cá entre nós, é uma situação esquisita o filho da mãe namorando com a filha do pai desse relacionamento... Eles cresceram juntos... são praticamente irmãos... e morariam na mesma casa se a mãe de Laura não a tivesse levado embora... E o pai de Laura não gosta nada quando vê essa situação... Onde já se viu a filhinha dele se engraçando com o enteado dele, o mais galinha que já viu?


"Tá, tudo bem. Estou mentindo. Quer dizer, eu nunca me apaixonei por um cara galinha. Na verdade, acho que nunca me apaixonei por ninguém."


   É, no mínimo, uma situação bem diferente, mas com umas cenas bem quentes pelo caminho desses dois. Se você curte uma leitura hot, indico Meu quase irmão, pois tem cenas quentes bem dosadas. Apesar de já sabermos logo de cara que teremos algo do tipo, a autora soube dosar bem e focou também nas outras pontas da história, como o relacionamento conturbado de Laura com o pai e o mistério de Bernardo. Apesar  de não ser uma leitura que eu me identifique, é um bom livro, e dou cinco estrelas para ele.

"Seria tudo mais fácil se a vida fosse um livro.[...] Mas infelizmente não é. A vida não é como nis filmes, nem como nos livros. A vida não tem um roteiro, não segue o nosso querer. Ela segue conforme tem que ser."



 
     Já conhecem os outros livros da autora? E Meu quase irmão, já leram? Contem aí, bora conversar! 😉
     Até mais!


4 comentários:

  1. Hey Hanna! Tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas apesar da premissa sem meio clichê, vale a pena a leitura rs.
    Obrigada pelo comentário.
    Volte sempre!

    ~ miiistoquente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thamiris, que bom que gostou do post. =) Bjks e obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Menina,tomei um susto achando que era sobre incesto kkkkk mas aí li de novo. De qq forma, prenderia minha atenção. Parece muito bom!

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando a gente lê o título toma um susto mesmo, viu? Confesso que pensei a mesma coisa, mas como tem aquele ditado que "as aparências enganam", a gente se acalma e continua a leitura, rsrsrs
      Bjks e obrigada pela visita! =)

      Excluir

Muito obrigada pela visita e seja sempre bem vindo ao Mundinho da Hanna.
Ficarei imensamente feliz com seu comentário, desde que:
- Não contenha palavras de baixo calão;
- Não seja span.
Os comentários costumam ser respondidos nos finais de semana. =)
Bjks!

© Mundinho da Hanna | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.
Topo