Resenha do livro: Starters

em 20 setembro 2018

   Olá meu povo, como estamos? E hoje temos a resenha da minha última leitura, Starters, uma distopia escrita por Lissa Price.

Starters
Divulgação

   Vem ver o que achei. 😉




Starters
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


33/30

Livro: Starters

Autora: Lissa Price

Editora: Novo Conceito

Ano: 2012

Páginas: 367

Adicionar ao Skoob


Seu mundo mudou para sempre.Callie perdeu os pais quando as guerras de Esporos varreu todas as pessoas entre 20 e 60 anos. Ela e seu irmão mais novo, Tyler, estão se virando, vivendo como desabrigados com seu amigo Michael e lutando contra rebeldes que os matariam por uma bolacha.A única esperança de Callie é Prime Destinations, um lugar perturbador em Berverly Hills que abriga uma misteriosa figura conhecida como o Old Man. Ele aluga adolescentes para alugar seus corpos aos Terminais — idosos que desejam ser jovens novamente. Callie, desesperada pelo dinheiro que os ajudará a sobreviver concorda em ser uma doadora. Mas o neurochip que colocam em Callie está com defeito e ela acorda na vida de sua locadora, morando em uma mansão, dirigindo seus carros e saindo com o neto de um senador.Parece quase um conto de fadas, até Callie descobrir que sua locatária pretende fazer mais do que se divertir — e que os planos de Prime Destinations são tão diabólicos que Callie nunca podia ter imaginado...

   
Starters




    Num futuro nem tão distante assim, a Humanidade, envolta em guerras, acabou criando uma arma tão poderosa capaz de matar milhões de pessoas de uma única vez. A conhecida guerra dos esporos trouxe uma grande reviravolta à população, que apenas iria sobreviver se fosse vacinada. Como apenas crianças e idosos foram vacinados, estes são os representantes de nossa raça. As crianças são chamadas Starters e os idosos Enders.
    Enquanto Starters lutam para sobreviver, especialmente os que não tinham avós vivos, os Enders curtem sua melhor idade com os avanços da tecnologia, que os permitem viver até mais de 200 anos. Os que tem uma vida de nível médio voltaram ao mercado de trabalho, já que os adultos intermediários não existem mais e as crianças são muito novas para certos empregos.
   Já os ricos possuem uma diversão enquanto não querem ficar em casa fazendo crochê... Eles podem aproveitar sua juventude, graças a uma empresa chamada Prime Destinations.


"Aqueles Enders ricos agiam como tivessem se esquecido de que uma guerra acontecera. [...] Foi uma guerra gente, ninguém venceu. [...] Aquela política mesquinha e insidiosa já existia antes da guerra, com a população que envelhecia, mas se tornava um problema ainda maior no pós-guerra."


   A empresa é comandada por um homem chamado apenas como O Velho e promete levar os Enders às melhores experiências que seu dinheiro pode pagar. Já imaginou o que faria de tivesse 16 anos novamente? Iriam à muitas baladas, fariam tudo o que não fizeram quando tinham essa idade? Então, na Prime eles assinam um contrato te dando plenos direitos para aproveitar sua juventude novamente pelo tempo que quiser... Mas, o que parecia ser algo que te avivasse lembranças, é literalmente uma troca de corpos.

Starters
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna



   Sim! A Prime realiza contratos com os Starters que não tem família responsável por elas. Em troca de uma quantia enorme de dinheiro, eles são submetidos a cirurgias para deixar seu corpo perfeito e são escolhidos mediante o gosto dos Enders. Se você antes da guerra tinha aptidão para atletismo, ou era modelo, acredite, será uma das primeiras escolhas dos Enders.
   Depois de assinar o contrato, ambos Ender e Starter terão que ir à empresa e aí acontece a magia (ou não)... O Ender troca sua consciência de lugar e sai por aí com seu corpo, enquanto o dono do corpo fica dormindo e só acorda quando acaba o contrato, sem saber de nada.


"Nunca me senti vazia por dentro. Era inútil tentar argumentar com ele. Mais de 100 anos nos separavam; ele nunca conseguiria entender todo o sofrimento pelo qual havíamos passado."  

   A vantagem de ter o corpo de um Starter desconhecido, é que você pode aproveitar todo seu dinheiro com a juventude alheia, experimentar o que quiser (desde que não envolva sexo ou mortes) e depois muda de corpo quando quiser, pois ninguém vai saber quem você realmente é...
   Callie é uma Starter que não tem para onde ir. Seus pais foram mortos durante a guerra e só sobraram ela e seu irmão mais novo e doente. Eles vivem se escondendo em prédios abandonados, esperando não serem pegos pelos inspetores, que os levam para abrigos dos quais ninguém sai. Vendo seu irmã cada vez mais doente, Callie não vê outra alternativa a não ser assinar o contrato com a Prime e pegar a grana para alugar um apartamento em um lugar onde seu irmão não sofra tanto.


"Pensei em Michael [...] cuidando de Tyler para mim. Eu não podia simplesmente sair para dançar. Ainda não fazia a menor ideia do que havia acontecido, onde eu estava ou como havia chegado até ali, e eu realmente não era eu mesma."

   Até então, seriam 3 alugueis: um de um final de semana, um de uma semana e um de um mês. Os dois primeiros foram como despertar de um sonho comprido... mas o de um mês... era onde Callie iria descobrir coisas que jamais esperaria sobre o governo...
   Mas Hanna, se ela não sabe de nada do que acontece com seu corpo, como ela sabe do que está rolando no governo?! Então, eis que a inquilina (como são chamados os Enders que estão usando os corpos alugados) tem planos que nem a Prime, nem Callie sabiam, mas um defeito no chip que controla as trocas de consciência dá defeito e Callie acorda em meio ao aluguel. Graças a esse defeito, Callie faz algo que está proibido no contrato: interagir com seu inquilino...


"Não sabia como deveria agir. O que dizer, o que não dizer. Era assustador não saber o que seu corpo estivera fazendo sem você."


   Sua inquilina planejava impedir um plano do governo, que tinha total apoio da Prime Destinations e afetava tanto Enders, quanto Starters. Se ela vai conseguir, não posso dizer... Só posso dizer que fiquei boba.


Starters
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


   Com tantos recursos para se ter rejuvenescimento, o que você faria se, além de poder viver uns 200 anos, ainda poder curtir sua aposentadoria num corpo bem mais jovem que o seu? Alugaria um corpo de um adolescente por um mês para viver tudo que você sempre quis, mas não podia pagar anos atrás? E se tivesse a oportunidade de ter sua juventude, iria querer voltar para o seu corpo original?
   E mais, o que acontece com os jovens enquanto você sai com o corpo deles por aí? Alguém já perguntou aos Starters o que eles pensam sobre isso? São vários questionamentos que nos fazemos enquanto lemos esse primeiro volume, que tem continuação em 'Enders' e mais dois contos: 'Retrato de uma Starter' e 'Retrato de um Eporo'.
   Callie é uma menina que sofre muito com a perda dos pais e tem uma responsabilidade já desde nova, a de cuidar do seu irmão mais novo. Além de ter sido uma promessa para o pai durante a guerra, ela se vê mais responsável ainda por ele estar doente e piorando cada vez mais devido aos lugares que eles procuram para se esconder.
   O mundo é dominado por Enders, que veem sua chance de viver mais, já que não tem adultos mais novos que eles. Eles tem que tomar conta do mundo até que os Starters sejam adultos e responsáveis pelos cargos novamente. Mas até lá, nada impede que eles se divirtam... A Prime vê vantagem para os dois lados: Enders são felizes vivendo novamente seus "anos dourados", enquanto Starters são agraciados com altas quantias de dinheiro, desde que fiquem calados, já que tal contrato é contra lei. Apesar de ser contra a lei, o que mais tem é políticos se aproveitando dessa tecnologia para terem sua vitalidade novamente...


"Aqueles Enders estavam me enlouquecendo. Como podiam falar sobre nós daquela maneira? Éramos apenas veículos para seu entretenimento, para suas fantasias idiotas. Se morrêssemos, não haveria qualquer problema ou ressentimento. Tudo estaria coberto pelo seguro."


   Mas até que ponto isso é vantajoso... Enders podem ter contratos longos e longos... Mas os Starters realmente veem a cor do dinheiro prometido? E se eles forem pegos no flagra fazendo algo que eles não são responsáveis, quem paga: o dono do corpo, ou o inquilino?  Além disso, como fica o bem estar da consciência dos Starters? Quem garante que eles voltam bem aos seus corpos? São várias questões que não estão no contrato da Prime e ela faz questão de manter muita coisa em sigilo... até demais...
   Além disso, se você tem a chance de alugar por bastante tempo um corpo, já pensou em alugar por anos? E que tal ter literalmente sua juventude novamente? Você iria curtir? E mais, que fim levaria a consciência que vivia naquele corpo que você passará a viver? E o seu corpo?
   Nesse livro vemos que só quem tem futuro mesmo são os que tem grana. Enquanto Starters "de berço" tem chance de viver como se nada tivesse acontecido e crescerem suas vidas normalmente, os de classe mais baixa não tem chance, a não ser, literalmente doarem seus corpos com apenas uma promessa de vida melhor.
   Vida essa que não se sabe, já que os escolhidos tem uma placa na parte de trás da cabeça para serem sempre controlados pela Prime. Então quem te garante que terão realmente uma vida tranquila e estável?

"Eu queria gritar para esses garotos, mandar que corressem o mais rápid que pudessem ou que se escondessem em algum armário, debaixo de suas camas ou qualquer outro lugar. Eles não sabiam o que isso realmente significava."

    Sabe aquele ditado, de ver as coisas pelo lado do seu coleguinha? Então, ele é aplicado aqui, mas de uma forma bem distorcida, já que seu coleguinha te doa o corpo e jamais saberá o que você fará com ele. A gente sempre fala que nosso corpo é nosso bem mais precioso e que devemos cuidar dele muito bem... Mas se o corpo não é teu, pode fazer o que for. Depois é só sair de volta pro seu e nem dor sente... Mas e se isso causar mortes? E se isso causar uma revolução?
   Ter sua juventude de volta é muito bom, mas a que custo isso é possível? Quantos Starters jamais veriam sua vida passar, nem ter experiências de amadurecimento, pois tem, literalmente, uma cabeça de velho morando neles. E a Lissa trata todas essas questões do ponto de vista da Callie, a única Starter que entende o perigo que isso pode causar e resolve ajudar sua inquilina. O que elas vão conseguir descobrir é muito pior do que imaginavam. E derrubar esse castelo de cartas envolve governo e uma empresa muito forte desde a guerra dos esporos.
    E ainda tem uma boa parte da população que nem sabe que pode estar interagindo por aí com uma pessoa no corpo de outra... Confusões, relações de confiança... nada disso existe mais, já que, literalmente, você não sabe com quem está lidando...
    Eu não conhecia esse livro. Ganhei de presente num amigo oculto e deixei na estante para um dia ler. Esse ano decidi ler e foi uma experiência bem louca. Imaginar o que alguém poderia fazer com meu corpo enquanto eu (minha consciência) estava numa clínica. Quantas coisas eu perderia? Fora a perda de identidade, até que ponto o governo seria capaz de mexer com você...
   É uma distopia, uma alternativa de futuro... mas que pode até ser possível, com os avanços da tecnologia... Agora já pensou se você descobre que isso realmente existe? Se já não confia nas pessoas normalmente, com tanta coisa que anda acontecendo, imagina se ela te aparece num corpo jovem, e no dia seguinte num corpo idoso e te fala: "olá, sou seu amigo, só envelheci de ontem pra hoje".
   Apesar de parecer algo louco,  Lissa soube prender o leitor com sua escrita bem fluida e as ações acontecem sem muita firula antes. O que tem que acontecer, vai acontecer sem você esperar muito. A Callie se mostrou uma mocinha bem forte e corajosa. Mesmo com medo de tudo o que descobriu, não teve vergonha de lutar pelo seu ponto de vista, o de uma Starter que morreria para seu corpo ser vendido para um idoso usar por mais uns 200 anos... Além de termos toda essa questão de identidade, ainda tem espaço para questões políticas e romance. Tudo bem dosado e o final também é fechadinho.
   Falando sobre o livro, a edição eu achei bem legal. Tem um estilo bem tecnológico, o que condiz com o assunto do livro. Só não gostei muito foi do desenho que fizeram da Callie na capa... me pareceu mais um robô do que uma menina de verdade... Bom, a fonte do texto é bem legível e limpa, e os capítulos são bem divididos. Toda a história é narrada pela visão da Callie, que apesar da idade e de ter alugado o corpo para alguém mais velho, ela mostra que é capaz de pensar por si mesma e ter opiniões fortes. As páginas são de papel pólen, que dá aquele charme todo especial no livro e não é algo fininho, então é de fácil passada. 


Starters
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna



    Se você curte distopia, super indico esse livro. Ele vai te deixar de queixo caído em alguns momentos, embora a capa te lembre algo bem juvenil. Não se iluda, aqui tem coisas bem além de um simples cotidiano de uma mocinha de 16 anos...





   E aí, o que acharam da resenha? Já leram esse livro? Me contem aí!








4 comentários:

  1. Já li esse livro tem um tempinho e gostei bastante :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério Monyque? Que bom então, temos gostos em comum. ^^
      Bjks e obrigada pela visita! =)

      Excluir
  2. Amei sua resenha, não conhecia esse livro, mas fiquei bem entusiasmada para conhecer depois de ler seu post.

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Que bom que gostou Kaila! Bjks e obrigada pela visita! =)

      Excluir

Muito obrigada pela visita e seja sempre bem vindo ao Mundinho da Hanna.
Ficarei imensamente feliz com seu comentário, desde que:
- Não contenha palavras de baixo calão;
- Não seja span.
Os comentários costumam ser respondidos nos finais de semana. =)
Bjks!

© Mundinho da Hanna | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.
Topo