Amantes das séries | Ragnarok (2ª Temporada)

em 15 junho 2021

  Olá meu povo, como estamos? Hoje, pela primeira vez, trago a resenha da continuação de uma série aqui no blog. Normalmente eu falo apenas da primeira temporada, e as demais eu acabo falando mais no instagram mesmo. 
  Como estou levando em consideração os pedidos dos leitores, uma leitora pediu para falar sobre as continuações aqui também. Não especificamente de Ragnarok, mas prometo que trago a que ela pediu em breve. 😉

Ragnarok | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix

Alerta: pode conter spoilers da primeira temporada! 

Ficha técnica


Série: Ragnarok 

Gênero: Drama, Fantasia

Episódios: 6 (média de 45min)

Temporadas: 2 (em andamento)

Ano: 2021

País: Noruega, Dinamarca


Ragnarok é ambientada na pequena cidade de Edda, na Noruega. Quando o lugar passa a sofrer com invernos muito quentes e tempestades violentas, um grupo de amigos do ensino médio começa a achar que o Ragnarok, sequência de eventos que levariam ao apocalipse de acordo com a mitologia nórdica, está mais próximo do que eles imaginam. Agora, só resta torcer para que alguém consiga impedi-lo...



Ragnarok | Netflix

 

   Bom, a segunda temporada começa continuando a troquinha de farpas que estava rolando no final da primeira, entre Magne e o líder dos gigantes (também dono das empresas Jutul).  
   E, do mesmo jeito que começou, terminou... sem emoção e apenas uma troca de raios para dar um toque de "olha, temos efeitos especiais!"


Ragnarok | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix



   Depois que Magne percebe a força que tem e começa a acreditar que é a reencarnação de Thor. Mas ainda me pergunto cadê a inteligência e personalidade de Thor, pois ali só vi mais um adolescente metendo os pés pelas mãos, achando que tudo se resolve só buscando tutoriais no Google. 😒
   E isso porque ele tem um professor especializado em mitologia nórdica na escola... imagine se não?! Me dava agonia ver ele passando por cima de várias magias antigas, tentando resolver tudo com internet. Tipo, cadê a magia da série?!
  Enquanto isso, todo o segredo que ronda a família de Magne e Jutul começa a se desenrolar, principalmente porque a segunda temporada gira em torno de Loki e seu desenvolvimento. 
  Paralelo a isso, a cidade de Edda está em polvorosa, desde a morte de Isolde, quando ela revelou o escândalo de poluição da empresa que manda na cidade. 

Ragnarok | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix



Ragnarok | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix



  Todos os jovens da cidade estão se mobilizando, para que a empresa dê uma resposta e, ao menos, peça desculpas para a família, o que achei até interessante, já que o fato de os gigantes são o caos e meio que estão causando o caos também no mundo atual, em nome do progresso. 
  O que também achei interessante foi o fato de Saxa acabar assumindo a empresa, já que Fjor rompeu com a família e foi viver seu amor com Gry. 

Ragnarok | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix


  Achei interessante a pegada feminista que ela tem, mesmo sendo um ser antigo, o que mostra que idade não é desculpa para quebrar paradigmas. 
  E achei interessante a briga entre ela e a mãe, que quer manter as coisas no jeito antigo e machista, mas Saxa não aceita e rebate com categoria. Isso rendeu alguns pontos a favor da série, que já não ficou tão monótona quanto a primeira temporada.
  Enquanto isso, segredos da primeira temporada são revelados, embora eu esperasse um pouco mais de emoção e não que fossem jogados de qualquer jeito, sem aproveitar muito o impacto. 
  Loki está "desabrochando", o que bate um pouco com seu corpo de adolescente. Pelo que conhecemos das lendas, em parte é aceitável que tome algumas atitudes, mas me dava nervoso ver um ser tão poderoso sofrer com dor de cotovelo, por algo que não veria normalmente, já que ele é bem poderoso e não se liga nisso. 

Ragnarok | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix


  As reclamações sobre drama teen e mais com cara de novela continuam, principalmente com Magne e Laurits, que continuam sendo personagens mal aproveitados. 
  Ainda não sei qual o real sentido de colocar adolescentes como deuses num mundo atual, pois a combinação ainda está deixando a desejar. 
  Outros deuses estão se revelando, o que deixa claro que a guerra está se aproximando. Espero, de coração, que tenha mais "tiro, porrada e bomba" mais para frente, pois até agora só vi tentativas frustradas com relação a isso. 



   E aí, já tinham visto essa série antes? Me contem aí! 
     


 

8 comentários:

  1. Olá!
    Eu acabei de anotar essa dica de série para assistir em breve, estou terminando de concluir duas séries cuja novas temporadas vão sair em julho e depois que eu assistir com certeza vou maratonar essa aqui.
    Beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Hanna! Como vai? Que bom que gostou do seriado, embora com ressalvas. Me parece interessante. Abraço!


    http://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu comecei essa série e acabei desistindo porque não me apeguei kkkkk. Todo mundo fala que é bom, mas olha, tentei e não deu.

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  4. Até agora não entendi a vibe da série, e é a segunda resenha que leio sobre ela. É baseada em Thor, é? E não é da Marvel? Vixi.

    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não é da Marvel não. É uma adaptação norueguesa mesmo... rs

      Excluir

Muito obrigada pela visita e seja sempre bem vindo ao Mundinho da Hanna.
Ficarei imensamente feliz com seu comentário, desde que:
- Não contenha palavras de baixo calão;
- Não seja span.
Os comentários costumam ser respondidos nos finais de semana. =)
Bjks!

© Mundinho da Hanna | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.
Topo