A metamorfose - Franz Kafka

em 02 junho 2020

  Olá meu povo, como estamos? Hoje temos resenha de um livro considerado clássico da literatura, que foi tema de uma leitura coletiva com minha parceira Babi Bueno, do blog Meu mundinho quase perfeito.  


A metamorfose
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna



18/12

Livro: A metamorfose

Autor: Franz Kafka

Editora: Rideel

Páginas: 34 

Ano: 2007 (edição original em 1915)




A Metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. O texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante - o famoso Gregor Samsa - transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana - tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.

A metamorfose



   Gregor Samsa é um rapaz jovem e cheio de sonhos, mas que tem compromisso e precisa sustentar sua família. 
   Ele trabalhava num escritório, mas acabou se aventurando como caixeiro viajante, por causa de uma dívida que seu pai contraiu anos atrás, a qual não podia arcar. 
   Até aí, vemos uma família comum, que passa seus apertos financeiros, mas que consegue se virar no final do mês, com o que Gregor ganha na nova profissão. 
   Empregado exemplar, ele sempre chega no horário, pegando o trem pela madrugada, para ser um dos primeiros a chegar no trabalho. 
   Mas um dia ele não consegue, pois sua vida vira por completo. 
   Confesso que nunca pensei que leria esse livro na vida, mesmo sendo tão comentado entre os intelectuais e até citado na sinopse como uma das obras mais importantes do mundo. 
   Mas o mundo dá voltas e acabei sendo desafiada pela Babi Bueno a fazer uma leitura coletiva desse bendito... que vou te contar... me fez pensar num monte de coisa... 
   Ele é um livro beeeem curtinho, com apenas 34 páginas e três capítulos, mas sinceramente, não consegui ler em menos de um dia... Apesar de ter pouquíssimas páginas, o que faria dele mais um conto que um livro, propriamente dito, ele não é uma leitura muito fácil de ser feita, que já começa pelo linguajar rebuscado (e eu ainda dei tanta sorte, só que não, de achar o bendito em Português de Portugal, o que deixou a leitura ainda mais densa). 
   Por ser um livro deveras antigo, foi super tranquilo achar para baixar em pdf, já que ele se encontra em domínio público.  
   Sem ilustrações ou introduções, somos logo apresentados ao nosso protagonista, Gregor Samsa, um caixeiro viajante, que está doido para mudar de emprego. 
   Funcionário dedicado que é, sempre chega cedo no trabalho, e é tão dedicado, que até sonha que está pegando o trem.
   Porém, nesse dia em questão, ele acorda num verdadeiro pesadelo, que parece nunca ter fim. Já começando por páginas e mais páginas descrevendo como foi sua incansável luta para sair da cama, não por preguiça, mas por condições físicas, ele percebe que sua vida nunca mais será a mesma. 
   Isso porque ele dormiu como um homem, mas acordou como um inseto, cheio de patinhas, as quais estão para o ar ele não consegue se levantar! 
   Esse primeiro capítulo é o que nos apresenta a metamorfose do rapaz, propriamente dita, o qual é considerado até cômico e leve de ler. 
   Mas eu não consegui ver nada engraçado numa pessoa que acorda num mundo real e se vê como um inseto. 
   Além disso, o coitado está tão desesperado, que ainda pensa que vai poder ir trabalhar, levando uma vida normal, como se nada tivesse acontecendo! Mas só consegue levar pânico a todos que o vêem. 
   Uma coisa que me marcou foi que, dentre os personagens que dão de cara com Gregor transformado são sua família e seu patrão, que chega em sua porta 15 minutos depois que ele deveria estar no trabalho. 
  Me pergunto até agora se Gregor era o único funcionário atrasado naquela empresa aquele dia, pois ele vai apenas na casa do coitado, para tomar o susto com o inseto gigante tentando abrir a porta do quarto. 
  Enfim, os segundo e terceiro capítulos, pulamos do que deveria ser "cômico" para o cotidiano da família Samsa, lutando para compreender a nova vida que eles tinham, agora que Gregor não poderia mais trabalhar e sustentar a casa. 
  A verdade é que a família toda era bem acomodada, a não ser pela irmã mais nova, que era ainda menor de idade. Os pais tinham condições de trabalhar, mas ficaram na aba do coitado do Gregor. 
  Mas a situação cômoda vai embora quando os cobradores começam a bater na porta deles. Aí vemos o quanto eles poderiam ser mais produtivos, mas deixavam tudo nas costas do filho. 
   A outra grande dúvida é quem é o inseto que está no quarto de Gregor. Para os leitores, aparentemente é nosso protagonista, mas a dúvida permanece diante da família, que não sabe lidar com um inseto em tamanho 1000 vezes aumentado no quarto do rapaz, querendo sair e ver o mundo. 
   E aí eu comecei a ficar angustiada. Pois o coitado do Gregor não tinha culpa de ter acordado do jeito que acordou, transformado. Ele apenas estava tentando se entender como novo ser no mundo, mas a família mesmo tinha mais medo do que cuidado com ele. 
   Era mais fácil mantê-lo trancado dentro do quarto e fingir que nada tinha acontecido. Apenas a irmã mais nova tem um pouco de compaixão e tenta entender o irmão, ou o que ela acha que é o irmão dela. 
   Vemos aí uma certa cumplicidade entre os dois, que são os únicos momentos de amor do livro. 
   Os pais de Gregor tem vergonha e medo do monstro dentro do quarto, e fazem de tudo para esquecer que ele existe. Mas em momento algum vemos uma mãe chorosa querendo saber o que houve com seu filho. 
  Isso me fez questionar se realmente os pais amavam o rapaz, ou apenas o viam como uma forma de ganhar o salário no final do mês. 
  São três capítulos tristes, impactantes e bem esquisitos, falando a verdade. Não sei como definir o que senti lendo esse livro, a não ser choque, medo pelo que somos capazes de fazer com o que não conhecemos e, de certa forma, preconceito pelo filho "diferente", que preferiam manter escondido em casa. 
  Como foi um desafio, missão dada foi missão cumprida. Mas sinceramente, é um livro que não quero ler novamente. Darei apenas três estrelinhas a ele, por não ter me agradado quanto eu gostaria. 



  

   Para quem quiser comprar o livro, ele está disponível na Amazon, através do link abaixo. Lembrando que, comprando através dele, vocês ajudam o Mundinho, sem que isso afete no valor de sua compra. ;)

 



   Já tinham lido esse livro? Gostam de fazer leitura coletiva? Me contem aí! =)



22 comentários:

  1. Oi, Hanna!

    Mesmo sendo bem curto, o livro parece ter exigido bastante de você, toda essa tristeza mexe com a gente e acaba se tornando até mesmo uma leitura difícil né :(

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é um livro curto, mas de leitura bem lenta e desgastante. Mesmo assim, tem pensamentos bem interessantes e que valem a pena a recomendação.

      Excluir
  2. Olá Hanna,
    Já conhecia o livro por conta da escola, já que ele é um clássico os professores sempre falam dele. Porém nunca o li, mas me pareceu bastante intrigante. Não é o tipo de leitura que eu faço, mas pode ser que eu lei, pois fiquei interessada na história depois de ler sua resenha. Gosto de livro que nos fazer pensar sobre as atitudes das pessoas. Parabéns pela resenha ficou ótima.
    Bjssss


    Helo
    https://pensamentossoavento.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Helo, espero que tenha uma boa experiência com a leitura.

      Excluir
  3. foi um dos livros mais maçantes que já li em minha vida.
    fazia parte de atividade para faculdade e valia horas.
    não curti não.
    bjsss
    www.andressamonteiro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em gênero, número e grau... é bem maçante e não lerei novamente.

      Excluir
  4. Li esse livro no Ensino Fundamental, pois ele envolvia a matéria de filosofia, e depois ele foi referência nas minhas aulas de literatura do Ensino Médio.
    E realmente, não é um livro fácil, mas o aprendizado que ele trás é enorme. Dá pra ficar muito tempo discutindo sobre a história de Metamorfose, mas no geral, por mais que seja triste, Gregor é a escória da humanidade, a pessoa excluída por ser pobre, aquele a quem todos tem até mesmo nojo, como um inseto gigante.
    Ainda pretendo reler esse livro.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo Leslie, sentia muita tristeza por Gregor e pela maneira como ele foi tratado pela própria família. Coisa que infelizmente acontece muito no mundo, mesmo que as pessoas não virem insetos, mas a família trata como se fosse. =/

      Excluir
  5. Confesso que não conhecia, mas apesar de não ter te agradado tanto, eu em daria uma chance a ele.

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser que sua experiência seja melhor que a minha... rs Depois me conta o que achou?

      Excluir
  6. Hannah que resenha! Fiquei angustiada só de ler a sua resenha. Também não gostei de o protagonista ter acordado com um inseto, com certeza ele não era o único da empresa a se atrasar e independente das falhas acho que o livro poderia ter sido melhor abordado. Algumas partes conflitantes e angustiantes.
    Fiquei feliz por ter concluído a leitura e realmente valeu a pena só porque foi um desafio cumprido.
    Amei a resenha e como você abordou os tópicos principais do livro.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Vanessa, são pequenos detalhes que chamaram bastante atenção no decorrer da leitura, e senti falta de uma "resposta". E sim, foi um baita desafio... rs

      Excluir
  7. Eu amo esse livro e todo o significado que ele tem em relação ao ser humano. Esse incomodo que ele traz eu acredito que é proposital, nos faz sentir um pouco do que cada personagem sentiu em lidar com a monstruosidade do desconhecido

    Beijo
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, o objetivo do autor foi alcançado com sucesso... rs

      Excluir
  8. Oi, Hanna tudo bem? Que pena que este clássico não tenha lhe agradado tanto. Leia outros livros/contos de o autor talvez você se surpreenda. Sua resenha ficou incrível, adorei. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Luciano, estou embarcando de cabeça no mundo dos clássicos e acho engraçado que, os que eu mais gosto, são os que só descubro que são clássicos depois de terminar a leitura... rs

      Excluir
  9. Oi Hanna, tudo bem?
    Eu fiquei curiosa pra ler e entender melhor a metáfora que o autor quis dizer. Parece um livro reflexivo, que nos faz olhar pros problemas do personagem além da sua transformação. Não sei se leria no momento, mas gostei de saber mais!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro que precisa de estômago para ler, principalmente com as mensagens de vida que ele traz. Mas é uma leitura que recomendo, por incrível que pareça.

      Excluir
  10. Oi Hanna! Às vezes a gente se apega ao tamanho do livro para tentar cumprir um desafio e, mesmo assim, se pega numa leitura extremamente densa e que não agrada tanto! Uau! Esse autor realmente é reconhecidamente difícil de ler, ainda mais este sendo um clássico seu. A história parece extremamente pesada e eu não sei se leria, pelo menos não por agora. Mas curti sua persistência! Que bom que você nos trouxe essa resenha! Beijos! Karla Samira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Karlinha, foi um verdadeiro desafio... Mas certamente não lerei esse livro de novo, mesmo sabendo dos temas que aborda...

      Excluir
  11. Oi Hanna, mais uma vez obrigada por ter topado entrar nessa leitura coletiva comigo.Pena que não foi uma boa leitura para você.Mas que bom Que em algum ponto valeu a pena .
    Eu acabei refletindo ainda mais sobre a história depois da nossa discussão.
    E eu acho que enfim entendi porque aquele cara foi aparecer na casa do Samsa , acho que foi uma das formas do autor de mostrar que aos olhos dos superiores do Samsa e até da família dele, o Gregor não era um humano antes mesmo da transformação em inseto , mas como uma máquina .
    Para mim fez sentido.
    Eu transformei o livro em um símbolo da luta pelo direito sóciais dos trabalhadores no século XX.

    Amei sua resenha .Nem vou mais desejar que na próxima vez vamos nos surpreender porque não está dando certo,apesar de eu ter gostado um pouco mais de "A metamorfose " do que você

    Beijão

    https://mundinhoquaseperfeito.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Babi, realmente foi um livro sofrido de ler. Até pela questão do próprio Samsa, coitado. Eu concordo em elegê-lo como símbolo de luta, mas é um livro bem complicado... E não percamos a esperança, vai que nossa escolha de julho dê certo? ;)

      Excluir

Muito obrigada pela visita e seja sempre bem vindo ao Mundinho da Hanna.
Ficarei imensamente feliz com seu comentário, desde que:
- Não contenha palavras de baixo calão;
- Não seja span.
Os comentários costumam ser respondidos nos finais de semana. =)
Bjks!

© Mundinho da Hanna | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.
Topo