Clube Naval

em 27 agosto 2019

   Olá meu povo, como estamos? Hoje temos postagem de nosso colaborador Erik Lourenço, contando pra gente como foi o passeio lá no Clube Naval

Clube Naval
Foto: Divulgação/Clube Naval




    Olá galerinha! Em meio da tempestade da pressa, cá estou para lhes mostrar o quanto é rico pode ser o seu trajeto para o trabalho e/ou universidade aqui no Rio de Janeiro. Escondido na vista de todos, o Clube Naval exala beleza por dentro e por fora.


Clube Naval



Arquitetura por fora

   A arquitetura do monumento por fora é de estilo neocolonial, pois apresenta simetria, cor branca, Platibanda (um tipo de guarda corpos para não deixar o telhado aparecer), nas janelas e portas percebe-se o arco pleno (arco de volta perfeita).

Arquitetura por dentro

   O edifício é eclético, pois tem a arquitetura grega e romana. Você deve querer saber as diferenças, correto?


Clube Naval
Foto: Divulgação/Clube Naval



Clube Naval
Foto: Divulgação/Clube Naval

Características da arquitetura grega: Os gregos eram mais detalhistas e não tinham vergonha de expor o corpo. Suas esculturas tem a missão de mostrar a beleza humana. Dessa forma, ao encontrar uma escultura onde há ausência de roupas, pode crer que é de origem grega.

Clube Naval
Foto: Erik Lourenço/Mundinho da Hanna



Clube Naval
Foto: Erik Lourenço/Mundinho da Hanna




   No Clube Naval existem três tipos de colunas, que são do estilo dórico, jônico e coríntio. Além de serem separados por níveis hierárquicos.
  O primeiro andar é marcado pela presença da coluna de estilo dórico, onde o fuste (corpo da coluna) tem detalhes e o capitel é de forma simples, sem uma ornamentação. Já o segundo andar tem a presença da coluna da estilo jônico, com fuste ornamentado e o capitel apresenta volutas (o capital parecerá um telefone fixo).
   O terceiro andar, por sua vez, tem as colunas presentes são de estilo coríntio, com fuste ornamentado e o capitel com a presença de folhas, porem as folhas normalmente estarão para cima como estivessem flamejante.

Clube Naval
Foto: Erik Lourenço/Mundinho da Hanna

Clube Naval
Foto: Erik Lourenço/Mundinho da Hanna


Características da arquitetura romana: Os romanos não gostavam de ornamentação e utilizavam roupas para representa suas esculturas. Os detalhes percebidos na arquitetura deles são os fustes totalmente lisos e as esculturas reproduzidas com vestimentas.

Clube Naval
Foto: Erik Lourenço/Mundinho da Hanna


Mesclando a sociedade

A cultura romana não utilizava muitos recursos filosóficos e do pensamento crítico, ou seja, desprezava o pensamento intelectual e glorificava a força bruta, dessa forma promovendo guerras. Já os gregos eram antagônicos aos romanos, ou seja, priorizavam o raciocínio, o pensamento, desta forma percebesse o porquê a Grécia é o berço dos filósofos.
Fato curioso: Mesmo os romanos tomando o território grego, ganhando as disputas, os costumes e a arquitetura que prevalece e influência todo o território para além da Grécia é a arquitetura grega.

Outro fato curioso: “... Em 1908 o Brasil fez uma circunavegação, sob o comando do Capitão-de-fragata Antônio Coutinho Gomes Pereira. Na travessia de Honolulu a Yokohama, o Navio-Escola passou pela ilha de Wake, quando constatou a presença de diversos homens na praia, acenando com um pano. Tratavam-se dos náufragos da Escuna japonesa “Hokio-Marú”, que lá estava havia um ano. O resgate dos marinheiros japoneses foi bastante apreciado pelo Governo do Japão, que distinguiu o Comandante do “Bejamin Constant” com uma medalha de ouro ao chegar o navio em Yokohama, um banquete oferecido pelo Almirante Conde de Togo e uma recepção dada pelo vice-Ministro da marinha Kato, nela compareceu o Príncipe Fushimi.”


Clube Naval
Foto: Erik Lourenço/Mundinho da Hanna

   Bom, esse post foi quase uma mini aula de história da arte. Espero que tenham gostado.

Dica: Vá com tempo e muito entusiasmo. O guia ficou mais de duas horas fazendo o guiamento só comigo. Isso mostra o quanto foi bom o passeio.

Observação: Desculpem pela escassez de fotos é que fiquei meio tímido de ficar tirando fotos. Na verdade não queria perder nenhum detalhe da explicação, então dei toda minha atenção ao guia e só tirei fotos em alguns momentos.
   A visitação desse local é somente guiada, onde o guia irá conta toda história do local, a importância, a experiência de vida, onde atuou. Ele faz uma linha do tempo sensacional. O guia que mediou a minha visita foi o Eduardo e ele foi muito cordial e tem um super domínio da história do local e uma gama de curiosidades. Se fosse relatar tudo o que ele disse para mim precisaria de escrever uma coleção de livros. (rsrsrsrsr).






Endereço: Av. Rio Branco, 180, Centro, Rio de Janeiro/ RJ

Horário de visitação: 13h – 16h (pontualidade britânica)

Custo: Franca (guiada)

Contatos: (21) 2112-2435

Vestimenta: Está vedada a entrada trajando chinelo, roupas de praia, bermudas e camisetas regata

13 comentários:

  1. mais um lugar lindíssimo no Centro do Rio que com certeza vou querer conhecer numa próxima visita!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Que lugar lindo!
    Muito bem conservado!
    Beijos!
    jenifercruuz.com

    ResponderExcluir
  3. Uau, que lugar incrível. Dispensa qualquer comentário!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, adorei aprender um pouco sobre a arquitetura, não imaginaria ver tantos detalhes assim, fiquei encantada!

    Beijinho Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente nunca imagina quantos detalhes estão escondidos nos museus, até começar a olhar para eles. =)
      Bjks!

      Excluir
  5. OI Hanna, é bem lindo esse prédio mesmo. E eu sempre passo por ali, vira e mexe vou almoçar por lá, admiro e tal, e justamente por estar no meu dia a dia não dei esse valor todo que ele merece e que o post aqui no seu blog me despertou. Realmente os nossos caminhos do dia a dia podem ser muito ricos se nos permitirmos esse olhar.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest

    ResponderExcluir
  6. Que lugar maravilhoso!

    Beijos,
    www.lewestinblog.com

    ResponderExcluir
  7. Erik, que delícia de passeio! Vou incluir em meu (imenso) roteiro para quando for visitar essa cidade (maravilhosa). Amei saber os detalhes das diferentes arquiteturas! Sim, esse tipo de visita tem mesmo que ser guiada, para compreendermos com mais profundidade a complexidade das ideias e projetos ali expostos. Parabéns pela matéria, amei! Beijos! Karla Samira

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e seja sempre bem vindo ao Mundinho da Hanna.
Ficarei imensamente feliz com seu comentário, desde que:
- Não contenha palavras de baixo calão;
- Não seja span.
Os comentários costumam ser respondidos nos finais de semana. =)
Bjks!

© Mundinho da Hanna | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.
Topo