02 agosto 2015

Resenha do Livro: O Inverno das Fadas




   Olá pessoal! Em pleno início de mês e cá estou eu para postar ainda a resenha de julho do Desafio Skoob 2015. O tema foi um livro que se passa ou que a capa remeta ao inverno. Para esse tema o livro escolhido foi O Inverno das Fadas, de Carolina Munhóz








Livro: O Inverno das Fadas


Autora: Carolina Munhóz

Editora: Fantasy - Casa da Palavra

Ano: 2012




"A magia ocorre ao longo das estações. As piores partes no inverno..."






   Existem pessoas normais, aquelas que nasceram, cresceram e morreram sem fazer grandes diferenças no mundo. E existem as pessoas que se tornam eternas pelo legado que deixam, virando fenômenos mundiais enquanto vivos, com livros sensacionais, vozes angelicais, talentos que ninguém mais no mundo tem igual...  
   Esses talentos são, na verdade, fruto de relacionamentos dessas pessoas com um tipo especial de fada, uma Leanan Sídhe, que serve de musa inspiradora a homens e mulheres que se tornam sucesso repentino. Enquanto as pessoas viram ídolos para seus fãs, a fada se alimenta da energia gerada pelas obras publicadas e divulgadas. O sucesso é tanto que gera loucura... e morte precoce... 
  Então, pensando em celebridades que tiveram sucesso repentino e morte precoce, dá para imaginar quem seriam as "presas" de Sophia Coldheart, a Leanan Sídhe de O Inverno das Fadas...
   O livro começa descrevendo o ritual de passagem de ano para as fadas, que para nosso mundo real seria a comemoração de Halloween. É uma descrição detalhada, com o que cada fada faz como ritual, inclusive o de Sophia, que está já conectada à sua presa da vez: William Bass, um jovem e talentoso escritor que mora numa cidadezinha inglesa, Keswick, condado de Cúmbria. 
   Uma das formas de se conseguir energia das suas presas conectadas é quando ela produz alguma coisa, como poesias, coreografias e afins... No caso de William eram versos românticos...

"[...] está tão distante, em outro lugar, outra dimensão, que não consigo penetrar, a fim de, finalmente, chegar perto de um ser tão encantador como você. Como gostaria de estar em seus sonhos, nas lindas passagens que imagino ao ler aquele conto de amor eterno, que nos faz esquecer da vida e me traz para mais perto de ti.Você, minha amada, é o tipo de mulher que os homens gostariam de carregar no colo. Isso é a coisa que mais quero na minha vida. Quando irá me permitir realizar tal desejo? [...]"
  Ao perceber que suas presas procuravam e desejavam ardentemente estar junto de Sophia, esta se tornava mais energizada, o que gera também excitação e prazer. E é em busca disso que Sophia resolve vir até o mundo dos humanos e se encontrar com William, a fim de fazê-lo mais apaixonado. O que ela não esperava era que ele tivesse algumas companhias que a deixavam com ciúmes... 
  Quando e por que uma Leanan Sídhe sentiria ciúmes de uma presa?! A não ser que se descobrisse apaixonada por sua presa, o que a deixa confusa e rebelde. 
  Amores não correspondidos já fazem parte da coleção da fada, não apenas entre os humanos que ela escolhe, como entre outros seres do seu mundo, que seria o caso de Lorena, uma fada lésbica (nem eu sabia que isso existia, mas enfim...) e tantos outros seres apaixonados e com inveja de Sophia, que são capazes de tudo para evitar que seu romance com um humano aconteça, já que sua mãe teve um caso parecido e o fim não foi tão feliz como nos contos de fadas infantis... 
  A fim de lutar pelo seu amor, custe o que custar, Sophia foge de casa e se esconde na casa de William, que começa a pagar o preço dessa loucura... 
   Daí acontece uma série de coisas antes do "final feliz" acontecem, com personagens que até então eram meros coadjuvantes... 
   Algo que não curti muito nesse livro foi que as coisas não tiveram muito suspense, sabe? Aconteceram rápido demais... E algumas coisas não foram explicadas, como o fato de ter um padre na cidadezinha que tinha contatos com um dos reis do povo das fadas, o avô de Sophia, por ter um dom que não foi mencionado na história...
   Ele começou muito bem, mas eu esperava um pouco mais no meio da história e, principalmente o final... =/
   Para quem não conhece, Carolina Munhóz é brasileira e bem novinha (tem minha idade! rs), jornalista e foi premiada como melhor autora pelo Prêmio Jovem Brasileiro. Além de O Inverno das Fadas, ela é autora de A Fada, Feérica e O Reino Das Vozes Que Não se Calam. Quem quiser saber mais sobre ela, é bem fácil, basta clicar AQUI
   Bom, este foi o post do Desafio Skoob de julho. 
    
          Até mais! =)

                 Hanna Carolina.




2 comentários :

  1. Parece uma história com um conteúdo muito rico e um tanto... inusitado kkkk Me deixou curiosa!

    http://caramelo-rosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É inusitado de fato, já que quando lemos histórias de fadas elas são sempre boazinhas e tal... Essa é uma versão bem diferente... rs
    Bjks!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela sua visita! Você é sempre bem vindo(a) aqui no Mundinho! =)
Agora, para finalizar sua passagem pelo meu cantinho, que tal deixar um comentário? Garanto que não vai demorar! ;)
Bjks!