Enders

em 12 maio 2019

   Olá meu povo, como estamos? Hoje temos a resenha de Enders, como participação nos projetos #12livrospra2019 e #leiamulheres, em parceria com as meninas do MãeLiteratura e Pacote Literário.
   Ah, essa é a continuação do que começou em Starters. Então fiquem atentos, pois há spoilers do primeiro livro nessa resenha! 😉


Enders
Foto: Divulgação

11/33

Livro: Enders

Autora: Lissa Price

Editora: Novo Conceito

Ano: 2014

Páginas: 283

Skoob | Amazon



Depois que a Prime Destinations foi demolida, Callie pensou que teria paz para viver ao lado do irmão, Tyler, e do amigo, Michael. O banco de corpos foi destruído para sempre, e Callie nunca mais terá de alugar-se para os abomináveis Enders. No entanto, ela e Michael têm o chip implantado no cérebro e podem ser controlados. Além disso, o Velho ainda se comunica com Callie. O pesadelo não terminou.Agora, Callie procura uma maneira de remover o chip – isso pode custar sua vida, mas vai silenciar a voz que fala em sua mente. Se continuar sob o domínio dos Enders, Callie estará constantemente sujeita a fazer o que não quer, inclusive contra as pessoas que mais ama.Callie tem pouco tempo. Obstinada por descobrir quem é de fato o Velho e desejando, mais que tudo, uma vida normal para si e para o irmão, ela vai lutar pela verdade. Custe o que custar.


Enders


    Apesar de a Prime Destinations oferecer divertimento ilimitado aos Enders que alugassem os corpos dos Starters, havia apenas uma regra: não pode matar ninguém. Os chips implantados nas cabeças dos Starters tinham uma programação específica, a qual meio que travava essa opção.
   O Ender poderia pensar e poderia até fazer algo perigoso que causasse a morte do Starter em uso, como um salto mal-sucedido, um esporte que não deu certo. Mas jamais poderia pegar numa arma e matar outra pessoa, mesmo que tivesse no corpo de outro Starter.
   Porém, Helena, a hospedeira que alugou o corpo de Callie, sabia de algo bem interessante: o chip de Callie tinha um "defeito", que impedia o travamento do corpo da garota caso ela pensasse em matar outra pessoa. E, sabendo disso, fez questão de alugar o corpo dela. Assim, Callie se vê numa situação de risco, onde ela acaba por tentar assassinar o senador, responsável por tais contratos por meios escusos, que permitiam o lucro da Prime Destinations e o sumiço de Emma, a neta de Helena e vítima dos contratos mesquinhos da empresa.
   Com essa tentativa de assassinato, a Prime Destinations acabou sendo desmascarada e condenada. O prédio foi demolido e os Starters estavam livres. Infelizmente nessa tentativa de assassinato, quem acabou morrendo foi Helena. Mas ela gostava tanto de Callie, que deixou parte de sua fortuna para a garota.
   Assim, começamos 'Enders', com Callie vivendo numa mansão, com tudo do bom e do melhor, com seu irmãozinho Tyler e seu amigo Michael perto dela.
   Apesar de estar numa época de paz, para Callie só vai haver paz mesmo quando ela completar a missão de Helena: descobrir o paradeiro de Emma, a neta e real herdeira de metade de todo aquele patrimônio. A única coisa que Callie sabe é que Emma possuía um chip, já que fazia parte do programa de aluguel da Prime. No entanto, com o fim da empresa, como ela poderia rastrear a garota?
   Com o fim da Prime Destinations, muitos outros Starters com chips, agora chamados Metais, estavam desaparecidos. Callie não sabia se os amigos que conheceu durante a experiência estavam vivos ou mortos, ou se conseguiram retirar o chip também, assim como não sabia o paradeiro de Emma. Isso lhe trazia certa insegurança, além de coisas das quais ela, literalmente, não deveria lembrar, já que não eram suas memórias, mas de Helena.
 



Enders
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna



   Além disso, já que todo aquele episódio acabou, por que não tirar o seu próprio chip? Apesar de morar agora numa mansão e ter bastante grana, o chip em sua cabeça só lhe trouxe pesadelos, literalmente. Tirando o chip, aquele pesadelo acabaria de vez. Mas as coisas não poderiam ser tão fáceis assim.
   Ela tentava viver tempos de paz, fingindo que estava tudo bem com seu irmão mais novo e seu amigo. Só que essa paz está com os dias contados, já que ela começa a ouvir uma voz que não desejava e não esperava: a voz do Velho. O que aparentemente era uma lembrança maldita, se revela real, quando o Velho começa a conversar e ameaçar a vida de Callie e a família que lhe restou. Se toda a tecnologia usada nos Metais havia sido destruída na demolição da Prime Destinations, como que o Velho teria a capacidade de encontrá-la tão fácil? E é aí que o pesadelo recomeça na vida da garota.


"Quero ter sua atenção completa e irrestrita. E você vai querer que eu a tenha."  


   Ela quer mais do que tudo retirar aquele chip. Desde o ocorrido com a Prime, os Metais vivem entre outros Starters, porém são estigmatizados, conhecidos como o robôs que não deram certo e não tem muita aceitação na sociedade. Enders não admitem que os usavam para se divertir; outros Starters sentem desprezo por eles terem vendido seus corpos para velhos usarem. E, além dessa situação, a pessoa que ela mais temia volta para lhe assombrar, com algumas revelações que a fazem temer mais ainda por suas vidas. Para começar, o Velho anuncia que pode não apenas encontrar todos os Metais desaparecidos, como controlá-los como seus fantoches, sem precisar fazer transferência de mente. Se isso era verdade ou não, Callie não queria descobrir, e para isso, retirar aquele maldito chip de sua cabeça se tornou uma missão de vida ou morte, literalmente.


"Você destruiu a Prime, mas isso não significa que me destruiu."



Enders
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna



   Bom, eu li 'Starters' e conheci Callie como uma adolescente com deveres de adulto. Desde a morte dos pais, por conta da guerra dos esporos, ela tem a responsabilidade de tomar conta de seu irmão mais novo, o Tyler. Além disso, se sente responsável por Michael, seu melhor amigo desde que fugiram da Instituição 37. Vi essa menina lutar contra coisas que, literalmente, ela não podia controlar, já que Helena ocupava seu corpo.
   O chip de Callie a princípio tinha um defeito, o que permitia que estivesse consciente enquanto outra pessoa ocupasse seu corpo. A única e mais importante coisa que ela não poderia fazer era controlar seu próprio corpo, porém seria a única testemunha de algo que seu corpo fazia, por obra de outra pessoa.
   O que era um "defeito" se mostrou uma vantagem, que tornava o chip de Callie único e cobiçado, já que permitia o avanço da tecnologia de uma forma até então impossível. Imagina mandar uma pessoa fazer tudo o que você quiser, você estava lá, mas não são suas digitais, não é seu DNA, mas foi você que fez, controlando uma pessoa como um robô de controle remoto.
   Callie só quer retirar aquele chip e ter uma vida normal, coisa que ela nunca teria enquanto o Velho continuasse se aproximando dela pelo seu cérebro. Não importava onde ele estivesse, ele poderia fazer o que quisesse com a garota, apenas com a força do pensamento e apertando um botão para que ela perdesse o controle do seu próprio corpo.
   Além disso, ela nunca tinha visto o Velho, já que ele poderia controlar qualquer Metal, poderia entrar em qualquer corpo e se apresentar como tal. O disfarce perfeito, para o crime perfeito. Ele poderia ser qualquer pessoa, inclusive estar bem próximo dela esse tempo todo. Isso deixa a menina cada vez mais desesperada. Além disso, há rumores de que os chips tem um sistema de defesa contra retirada. Isso era mesmo verdade? Ou apenas uma mentira inventada para os Metais não venderem seus chips para concorrentes da Prime?


Enders
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


   Callie acaba se enredando cada vez mais em situações que julgava nunca mais estar. Ninguém é o que parece nessa história, já que a Prime pode não ter mais um prédio bonito na vista de todos, mas a tecnologia ainda existe escondida em algum canto do mundo.
   Perseguições, assassinatos, revelações bombásticas. Um livro de apenas 283 páginas carrega tudo isso e muito mais. A linguagem fluida de Lissa continua nesse livro, assim como no primeiro, mostrando o lado mais sombrio que uma pessoa pode ter. Se o Velho vai ser revelado? Ele se revela sim e eu quase caí para trás quando li quem era. Além disso, o motivo pelo qual escolheu logo a Callie para ser a "dona" do chip mais cobiçado do mundo no momento não é uma escolha aleatória. Na verdade, Callie foi alvo de vingança por algo que seu pai fez, que Callie só vai descobrir no decorrer do livro e que me deixou de queixo caído também. Foram muitas revelações e o que eu achava que não poderia mais ter de surpresa, a autora vem e "Puft!", mostra é possível ainda ter muitas surpresas nesse livro.
   Apesar de ter tantas surpresas no livro e ter explicações de tantas coisas mencionadas no primeiro livro, confesso que o livro não me prendeu tanto quando achei que prenderia. "Mas Hanna, tu acabou de elogiar o livro, falou que tem o tal 'tiro, porrada e bomba' que tu tanto gosta, como que tu me fala que o livro não te prendeu?! " Pois é, antes de ter o "tiro, porrada e bomba", temos umas cenas que mostram a Callie em busca de pessoas para retirar o chip e de respostas para o passado da família dela que o Velho diz saber. Acontece que essa busca se torna maçante em parte do livro, com diálogos um tanto longos e que me deixaram de saco cheio em certos momentos. O que era para ser mais movimentado acabou se tornando descritivo demais e me incomodou um bocado. A não ser isso, o livro realmente é bom e tem um final espetacular, com algumas surpresas guardadas na manga ainda.
  Mesmo com a parte maçante, Callie mostrou que pode ter força de onde menos se imagina que possa retirar quando a situação aperta. Ela já era uma personagem que me agradou no começo da história, e agora ainda continua agradando, amadurecendo mais um pouco e lutando para que o mundo seja melhor. Ela sente falta dos pais, mas não faz disso um motivo de sofrimento. Pelo contrário, tira da dor sua força para lutar. Ao entrar nesse esquema dos chips e com esperança de retirá-lo de sua cabeça, ela acaba esbarrando em algo de seu passado que não sabia, o que poderia fazê-la desmoronar. Mas ela age de uma forma espetacular e não se deixa abalar. Entrou para o hall de personagens favoritas da Hanna. 😊
   Tyler não tem um papel muito grande, por conta da idade principalmente. Mas Michael se mostra um amigo leal, mesmo sabendo do passado de Callie, junto com ela. Ele aparece nos momentos certos e sempre ajuda a menina a se safar. Além disso, temos alguns personagens novos, que vieram para abalar o emocional de Callie e fazer parte do cenário caótico planejado pelo Velho. Principalmente porque nesse livro, ninguém é o que parece ser e amigos novos podem não ser uma boa escolha. Todo cuidado é pouco e Callie fica desconfiada até da própria sombra.
   Falando do livro em si, é uma edição bem levinha, com páginas de fácil passada, impressas em papel pólen. A fonte do texto é bem legível e os capítulos são bem demarcados. Com relação a capa, assim como a de 'Starters' mostra nossa Callie, em 'Enders' temos ninguém mais, ninguém menos que o responsável por tudo isso: o Velho! Cá entre nós, se encaixou direitinho, a editora teve uma bela sacada ao colocar ele na capa do livro, cuja tradução literal do inglês é o codinome que o personagem adota.
   Como podem reparar em alguns detalhes, a carinha dele parece um papel saindo mostrando o que tem por baixo. Isso é realmente para mostrar que ninguém é o que parece nessa história. Não falo isso porque não tenho outra coisa para escrever, isso é um lema repetido várias e várias vezes no decorrer dessa distopia. E como o Velho pode ser qualquer pessoa, fica aquela pergunta, quem é a mente por trás de tudo isso?! E mais, por que ele pensou em criar uma tecnologia desse tipo?!
   Tudo é explicado no livro, leiam e tirem suas próprias conclusões. Eu achei que foi egoísta demais. Mas se tiverem lido, me contem se concordam ou não comigo?


Enders
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   No mais, indico a leitura, mesmo que não tenha a nota máxima.



     
   Quem quiser adquirir os livros, estão disponíveis na Amazon, através do link abaixo. Lembrando que as compras feitas nos links disponibilizados no Mundinho ajudam o blog a ganhar comissão, sem que altere o valor da compra de vocês. 😉






   O que acharam de 'Enders'? Já leram esse livro? Me contem aí!
   Até mais!



Leia Mulheres




12 livros para 2019







18 comentários:

  1. Oi Hanna, tudo bem?
    Eu achei a premissa de Starters bem diferente, fiquei curiosa pra conferir.
    Pena que Enders tenha essas falhas que você mencionou. Dá uma decepcionadinha na gente, né?
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Priih... É ruim quando isso acontece, né? Mas vida que segue...
      Bjks e obrigada pela visita! =)

      Excluir
  2. Fiquei mais que curiosa para ler, com certeza vai para minha lista e irei ler logo.
    Beijos,
    www.lewestinblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando ler, me diga o que achou?
      Bjks e obrigada pela visita!

      Excluir
  3. bacana conhecer mais desse livro, apesar de ser diferente de Starters parece que vale a pena a leitura sim

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, vale a pena ler sim Livia, só não garanto que vai curtir muito o final... rs
      Bjks!

      Excluir
  4. Oi querida
    Adoro nossa parceria e todo mês espero curiosa para ver sua escolha
    Ótimo post!
    Não li nenhum dos dois ainda, mas já coloquei na minha lista.
    Beijão e até o mês que vem
    Bjs
    Claudia

    ResponderExcluir
  5. OI Hanna, adoro como você aborda os livros, faz a montagem das fotos e prepara o post. Tudo para nos instigar a ler o livro. Esses posts estão me estimulando a voltar a ler. Estou lendo "Como se encontrar na escrita" de Ana Holanda.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownt, obrigada Chris! ^^
      Que bom que estou te influenciando de uma boa maneira... S2
      Bjks e obrigada pela visita!

      Excluir
  6. Não conheço essa série, mas olha, sabe que me chamou a atenção?!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  7. Amei sua resenha, ainda não conhecia essa série, já assisti um filme onde a história é meio parecida, mas confesso que não é o tipo de história que me fisga!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kaila, na real esse livro não é muito novidade... Mas não me fisgou tanto quanto a capa deles... rsrs
      Bjks e obrigada pela visita!

      Excluir
  8. Oi Hanna,
    Adorei a ideia do projeto.
    Depois de ler sua opinião, fiquei com dó de ter passado para minha prima antes de ler. Vou ter que se consigo futuramente haha. Eu adorei essa trama cheia de tretas, principalmente com assassinatos, certo que deixa aquele mistério tb, que adoro.
    Essa coisa do chip me lembra o meme do Pedro cade meu chip haha.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nanna! Realmente tem bastante treta nesse livro... quando ler, me conte o que achou?
      Bjks e obrigada pela visita!

      Excluir
  9. Achei bem diferente, não sei se eu iria ler.
    Mas é bacana conhecer mais de livros que estão por aí.

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tudo questão de gosto, né Val? Mas que bom que gostou do post.
      Bjks e obrigada pela visita! =)

      Excluir

Muito obrigada pela visita e seja sempre bem vindo ao Mundinho da Hanna.
Ficarei imensamente feliz com seu comentário, desde que:
- Não contenha palavras de baixo calão;
- Não seja span.
Os comentários costumam ser respondidos nos finais de semana. =)
Bjks!

© Mundinho da Hanna | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.
Topo