12 abril 2017

Amadurecer

   Olá meu povo, como estamos? Hoje vim fazer um post um tanto diferente do que estou habituada a a colocar por aqui... Vem ver o que aprontei! 😊




A estrada menos percorrida
(Robert Frost)

Duas estradas divergiam numa árvore amarela
E me ressenti não poder ambas percorrer
Sendo um só viajante, por muito me detive
E observei uma até quão longe pude
Só para observar que na relva desaparecia

Então segui pela outra, tão boa quanto,
E talvez por ter melhor reclame
Mais ramos possuía e talvez por ansiar uso
embora, quanto a isso, o caminhar, no fim,
as tivesse marcado por igual.

E, naquela manhã, em ambas igualmente jaziam
Folhas que passo algum pisara.
Ó deixei a primeira para outro dia!
E sabendo que um caminho leva a outro caminho
Duvidei se algum dia eu voltaria.

Isto eu hei de contar mais tarde, num suspiro
Em algum ponto, eras e eras ainda nesta existência,
Duas estradas bifurcavam numa árvore,
Eu trilhei a menos percorrida,
E isto fez toda a diferença.

    Eu conheci esse poema por acaso... mas os últimos versos dele foram os que mais me tocaram... Porque foi exatamente o que eu fiz a vida inteira, escolhi a estrada menos usada. 
   Talvez porque muitas pessoas prefiram as estradas mais fáceis e rápidas, elas achem que isso é um roteiro a ser seguido... Mas nunca foi... algumas pessoas precisam percorrer um caminho mais comprido, mas tortuoso para dar valor ao que consegue... 
   Me falaram que eu deveria ter um certo roteiro na vida, porque já estava na hora de casar e ter filhos, mas eu descobri que o bom da vida é exatamente não ter roteiros. Saí de um relacionamento que não me fazia bem, me transformou numa pessoa medrosa e sem sonhos e ainda por cima tudo era previsível... como aquilo me cansava... 


  Ficar sozinha no começo foi tão, mas tão ruim... mas acho que o pior era ouvir as pessoas me dizendo que um dia encontraria alguém e seria feliz novamente... Então, será que para ser feliz eu preciso de fato ter alguém do meu lado? É isso que a sociedade quer? E comecei a me perguntar... A sociedade quer pessoas felizes, ou que apenas pareçam felizes nas redes sociais? E mais, o que é ser feliz? Comecei a me perguntar isso várias e várias vezes... 
  E decidi que antes de encontrar alguém para ser feliz, eu deveria era descobrir o que é ser feliz, afinal, como vou encontrar algo que nem sei o que é?! 


  E foi aí que eu vi, novamente, o uso dos últimos versos do poema... Se eu percorrer a estrada menos usada, vai fazer toda a diferença em minha vida. Então, ao invés de procurar a felicidade em pessoas, decidi procurar a felicidade em mim. Comecei a fazer coisas que EU gostaria de fazer, sozinha ou não... comecei a curtir coisas porque EU queria curtir, não porque teria uma companhia para isso. Comecei a curtir minha própria companhia... E isso me fez me conhecer mais, me fez perceber o que eu queria para mim... 
  Será que eu queria alguém que apenas me completasse? Que visse o que tava faltando e me remendasse? O que eu queria em alguém afinal? Alguém que só me servisse para mostrar felicidade (olha a famigerada palavra aí de novo) perante a sociedade, ou alguém que realmente me fizesse continuar sendo feliz do jeito que sou, sem me impor regras nem mudanças? 


  E de repente, comecei a ver que algumas coisas, e algumas pessoas também, me cansavam... comecei a fugir de regras e roteiros que me impunham, como se só aquilo fosse o certo da vida... comecei a ver que às vezes ser diferente é exatamente o primeiro passo da liberdade e só me faltava aceitar... 
 De repente o mundo não foi mais o mesmo depois que comecei a me fazer essas perguntas... o mundo tomou cor, tomou forma... e de repente perdi o medo de fazer certas coisas... Perdi o medo de pensar... perdi o medo de abrir as asas e sair por aí... 
 Serei sincera, não sei ainda o que é ser feliz... nem sei se isso quer dizer que amadureci... mas sei que o mundo está diferente, minha visão está diferente e não me vejo mais olhando nem querendo voltar atrás... Principalmente porque eu escolhi a estrada menos usada, e isso fez toda a diferença em minha vida, da qual não me arrependo nem um pouco... 
  E, para finalizar, deixo com vocês uma música que gosto muito... e que me ajudou a ter forças para seguir essa estrada menos usada... 





   Até mais! 😊















3 comentários :

  1. Penso exatamente assim!
    Tenho 23 anos e nunca me relacionei e agora estão começando as cobranças do tipo "ei, tudo mundo namora, alguns dos seus amigos já estão casando, e você?"
    Mas sabe, não enxergo a necessidade de outra pessoa para me fazer feliz, já sou.
    Não quero alguém que corte minhas asas, usei 23 anos da minha vida para enfeitá-las, não faz sentido alguém redecorar que não seja eu.
    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está super certa! Não se deixe mudar por causa do que dizem... =)
      Bjks!

      Excluir
  2. Olá! Adorei os versos escolhidos e concordo com você: atualmente o que vemos são cobranças ridículas sobre esse "roteiro" a se seguir na vida: namorar, casar, ter filho, ter outro... estudar, formar, arranjar um emprego na área, etc... etc... tudo como manda o "figurino", mas espera... esse roteiro é de quem? Cada um tem o seu caminho e as pessoas têm que aprender a respeitar as escolhas das outras. Adorei o post!
    Beijos!
    Karla Samira

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Agora deixe uma blogueira feliz, comente, compartilhe e seja sempre bem vindo no Mundinho da Hanna! =)