06 janeiro 2016

Resenha do Livro: Prelúdio à Fundação

   Olá pessoal! Como estamos todos? Passei aqui hoje para fazer as considerações sobre o último livro que li em 2015. Vem ver! =)




Livro: Prelúdio à Fundação

Autor: Isaac Asimov

Editora: Aleph

Ano: 1957

   A série da Fundação, escrita por Isaac Asimov é uma obra de Ficção Científica que descreve em detalhes a história de um futuro distante e de como o destino de seus habitantes é influenciado por uma instituição chamada Fundação Enciclopédica.
  O objetivo de Asimov ao escrever em forma de uma saga científica e a procura da sabedoria, o primeiro livro da série era descrever em detalhes a queda de chamado por ele de um Império Galático, que não é nada além do mundo em que ele viveu, segundo a maioria dos críticos de sua obra. Ou seja, um mundo cheio de contradições, e o surgimento de um outro, científico e com a orientação da verdade e da boa orientação, sem subterfúgios  e  chamados  “golpes  baixos”  tomando  como  inspiração  a queda  do  Império  Romano.  O  personagem  central  da  série  chama-se Hari  Seldon  que  embora  só  apareça  pessoalmente  em  três  dos  livros influencia  toda  as  obras  da  Fundação  através  da  Ciência  que desenvolveu: a Psico-história, com a Informática e o Computador.
   A Psico-história seria um misto de sociologia e matemática. Aplicando fórmulas  matemáticas  a  acontecimentos  de  seu  presente,  Seldon conseguia  calcular  acontecimentos  futuros  e  assim  permitir  ou  tentar evitar que viessem a se confirmar. As  previsões  feitas  por  Seldon  eram  todas  baseadas  em  estatísticas  e probabilidades.  A  Psico-história  usava  desses  elementos  matemáticos aplicados às massas. Funcionava apenas para sociedades inteiras. Para uma  elaboração  matemática  precisa,  era  necessário  que  fosse  feita  a avaliação sociológica, cultural e econômica de sociedades com muitos milhões, ou bilhões de indivíduos. Era totalmente ineficaz a tentativa de aplicar a Psico-história a indivíduos, porque o indivíduo é imprevisível.
   Esse é o resumo de toda a série Fundação, que virou um clássico da literatura mundial e está sendo produzida a série de TV que passará pela HBO logo logo.
Como já foi dito, Hari Seldon é o pai da Psico-História, uma ferramenta matemáica aplicada às massas, através das quais ele poderia prever movimentos futuros. Mas antes que ele pudesse tirar essa ferramenta do mundo das ideias e, de fato começar a construí-la, foram precisos alguns empurrõezinhos, como os que são vistos em Prelúdio à Fundação.
  Nesse primeiro livro da série, Hari Seldon apenas divulga em um congresso de matemáticos sua ideia de Psico-História e o quanto ela poderia ser útil para prever o futuro na política ou na sociedade em si. Porém ele mesmo afirma que uma ferramenta desse tipo trata com muitas variáveis se aplicada ao universo, logo, seria impossível usá-la no mundo real. Entretanto, duas pessoas representantes de forças políticas opositoras acham que a ferramenta pode ser real e buscam Hari para que ele de fato a torne real.
Hari se vê em um jogo político do qual tem medo, pois uma única palavra errada e o Império Galáctico pode entrar em guerra e ser destruído, por causa de uma previsão errada. Mesmo insistindo que não é possível que isso seja feito, uma pessoa o convence a tentar ao menos fazer com que a ferramenta saia do papel, afinal, como saber se ela é de fato viável, se nunca saiu do mundo das ideias? Além disso, o Império está em decadência e algo precisa ser feito para ajudar a sociedade antes que ela entre em colapso.
  Convencido de que estava sendo seguido por pessoas perigosas, Hari se deixa proteger por um “amigo”, Chetter Humin, que o guia por alguns lugares e depois o deixa nas mãos de uma pessoa de confiança, uma historiadora, Dors Venabilli, que o acompanha em vários planetas, em busca das origens da Humanidade, qual o planeta de origem do povo e, quem sabe, as fundações da Psico-História.
Com um misto de suspense, aventura, romance e história, Isaac Asimov  me prendeu a cada página desse livro. Eu conheci a série através do livro mais famoso: Fundação, que li por causa de uma disciplina da universidade. Me apaixonei no primeiro momento e queria saber mais sobre Hari Seldon; o que ele fez para desenvolver essa ferramenta? Tem algum livro que explique como tudo começou? E, para minha alegria, esse livro existe! =)
  Em Prelúdio à Fundação, pude conhecer Hari Seldon no auge da sua juventude, um matemático recém formado, mas já conhecido por muitos por sua inteligência além do limite, capaz de pensar em uma ferramenta que foi o estopim de muitas brigas políticas. Um livro muito bem escrito, que eu super recomendo, não apenas o Prelúdio, mas também toda a série.
  E, lógico, quando a adaptação na TV sair, quero ser uma das pessoas a assistir e dizer o que achei dessa série fantástica. Muitos são os livros que mostram o mundo como seria um futuro distante, mas a maioria só pensa num futuro logo após o Apocalipse. E depois? Não tem mais nada? É só isso? E Asimov foi um dos poucos que pensou que seria, sim, possível ter algo depois disso. Algum tempo em que a Humanidade seria capaz de desbravar tantos planetas em galáxias tão distantes, que logo a Terra seria apenas uma lenda, contada para crianças antes de dormirem.
  Mais uma vez, super recomendo.
  E é isso pessoal! Fico por aqui e espero que tenham curtido.

   Até mais! =)


        Hanna Carolina.




Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Agora deixe uma blogueira feliz, comente, compartilhe e seja sempre bem vindo no Mundinho da Hanna! =)