01 novembro 2015

I Dare You de Outubro: Sonho Febril

   Olá pessoal! Como estamos nesse lindo início de mês? Hoje estou aqui para comentar sobre o livro escolhido para o I Dare You de outubro. O tema foi Terror e o livro foi um lançamento desse ano: Sonho Febril, de George R. R. Martin. Vem conferir! =)






Livro: Sonho Febril

Autor: Goerge R. R. Martin

Editora: Leya

Ano: 2015

Sinopse:

   "Quando o falido capitão Abner Marsh recebe uma proposta de sociedade do rico e sinistro aristocrata Joshua York, ele até chega a desconfiar que algo está errado. Mas nada que a possibilidade de receber milhares de dólares em ouro e construir o barco dos seus sonhos não o possa fazer mudar de ideia.   Assim surge o Fevre Drem, o melhor e mais potente barco de todo o Mississipi. Uma embarcação magnífica que, ao navegar pelo rio, vai deixando pelo caminho uma coleção de histórias sombrias. Movido pela força do vapor, o sonho do capitão pode se transformar no maior pesadelo da humanidade."


   Sabe todas as histórias de vampiros que você já ouviu falar? Que eles dormem em caixões, só saem à noite, não refletem no espelho, morrem se você enfiar uma estaca no coração e fogem de alho e água benta? Pois bem, jogue tudo isso fora, pois não é o vampiro que George R. R. Martin descreve em seu livro.
  Para começar, são sempre lindos e ricos, dormem em camarotes e mansões chiquérrimas e alguns são até capazes de sair à luz do dia (e não soltam brilho que nem alguns projetos de vampirinhos que ficaram famosos nos últimos tempos). Água benta não os queima, são lindos e amam um espelho (quanto maior o espelho, melhor para refletir sua beleza e vaidade), e estaca no coração só os deixam mais furiosos.
   É assim que os vampiros são mostrados em Sonho Febril. O que, particularmente, muito se aproxima dos vampiros descritos por Anne Rice (clique AQUI para ver minha resenha sobre um dos livros dela) e que eu concordo (rsrsrs).  O que ele traz de diferente nessa versão dos vampiros, é que eles não venderam alma, nem foram transformados por outro vampiro, simplesmente já nasceram assim. Isso mesmo, são um povo mais antigo que os seres humanos e já dominavam o mundo quando o primeiro homem começou a andar por aí. Eles conseguem beber outra coisa que não sangue e comem bastante (o que não substitui a sede de sangue, ou sede vermelha). Além disso, como não transformam ninguém, eles precisam se reproduzir e, como para a fêmea entrar no cio (sim, elas entram no cio) demora séculos, o povo é reduzido e elas sempre morrem no parto, já que o filho suga toda sua energia ao nascer. Então, a quantidade de fêmeas é relativamente baixa, o que diminui ainda mais a taxa de reprodução dentre o povo da noite.
  Ainda assim, existe um rei desse povo, também chamado mestre de sangue, que tem poder suficiente para dominar a mente de todos os outros vampiros ao seu redor. Era assim que Joshua York se julgava, quando resolveu entrar em sociedade com Abner Marsh, um capitão falido e mega conhecido no rio por sua honra e, mais ainda, por sua feiura. Marsh, ao saber que teria a chance de apostar corrida contra o Eclipse, o barco mais veloz e famoso de todo o Mississipi, vê a possibilidade de se tornar mais famoso, por ser o “capitão que venceu o Eclipse”. Daí começa a sociedade; Marsh querendo ser um capitão famoso e York querendo chegar até a Cidade Escura, a lendária terra de onde surgiram os vampiros.
   E a guerra então começa quando Julian, um vampiro mais forte que York descobre que, não apenas York se julga rei dos vampiros, como resolveu dar uma de bonzinho e não matar mais o gado (como eles chamam os humanos), criando uma bebida capaz de aplacar a temida sede vermelha. Com raiva e vaidade, Julian começa uma guerra para acabar com a bebida e roubar o barco de York e Marsh, que era veloz a ponto de Julian cumprir a vingança que promete a Marsh, tornar o Fevre Dream o barco mais famoso, por ser o mais sangrento de todos os tempos.
   Confesso que no início fiquei muito curiosa quando vi esse livro na Bienal do Livro aqui do Rio e atrás, próximo à sinopse, estava escrito: “uma reinvenção original e fascinante das histórias de vampiros.” Devo dizer, que de fato foi original e fascinante. Já tava apaixonada pelos livros de Martin ao devorar os cinco livros de ‘As Crônicas de Gelo e Fogo’ e não deixaria de ler essa obra. Foi realmente sombrio, sangrento, violento, como todo livro de vampiros deve ser, mas sem deixar o lado bom das pessoas de fora. Mesmo Joshua York, um vampiro, foi capaz de ver bondade nos humanos e ter amizade com eles, sendo leal até o dia de sua morte. Ele colocou a história dos vampiros não como um desejo das pessoas de terem vida eterna e que vendem a alma, ou como um dom que é passado por transfusão de sangue. Não, vampiro é uma característica genética, passada de mãe para filho, o que é beeeeem diferente e legal! Ele colocou a questão também das balas de prata (que tecnicamente matariam os lobisomens) como parte de suas lendas, já que haveria uma linha tênue entre os dois povos (vampiros e lobisomens).
  Eu curti bastante, super recomendo e gostaria de falar muito mais do livro, mas como prometi não dar tanto spoiler (rsrsrs), vou me controlar aqui. Apenas super recomendo e leiam, foi uma ótima opção para o IDY de terror. Amei ler histórias de vampiros como eles devem ser: sombrios, malvados, belos e fortes.

   Essa foi a postagem de hoje. Espero que tenham curtido e até a próxima!


           Hanna Carolina.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Agora deixe uma blogueira feliz, comente, compartilhe e seja sempre bem vindo no Mundinho da Hanna! =)